Produção de morango na Chapada Diamantina gera renda média mensal de R$ 4.500,00 para pequenos agricultores

Cooperativa de morangos faz reposicionamento de marca visando acessar mais mercados

Mais comum em climas temperados, o cultivo de morangos na Bahia conquista cada vez mais o interesse de agricultores e agricultoras familiares da região da Chapada Diamantina. Lá, as condições climáticas aliadas aos investimentos do Governo do Estado em empreendimentos da agricultura familiar na região, a exemplo da Cooperativa dos Produtores Rurais da Chapada Diamantina (Coopchapada), do município de Mucugê, têm contribuído para o aumento da renda das famílias agricultoras. 

Para continuar ampliando o acesso a mercados, a Coopchapada iniciou um processo de reposicionamento de marca para atrair mais clientes e favorecer a sua comercialização. Esse novo procedimento teve a participação direta da Assistente Técnica em Gestão (ATEG), Irene Lima, contratada a partir do projeto do Governo do Estado Bahia Produtiva, executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR). 

O trabalho desenvolvido repercutiu em avanços para a cooperativa, a partir da criação de uma nova marca e produção de novas embalagens. “Nós tiramos o excesso de cores e de informações, incluímos o Selo da Agricultura Familiar, o selo do in natura e também fizemos novos cartões de visita e um novo catálogo com a nova marca. Ficou mais profissional, mais bonita e o Bahia Produtiva tem toda a importância nisso. Hoje, os produtos chamam mais atenção dos mercados e o consumidor final vê que é uma coisa bem profissional”, ressaltou Irene. 

O recurso investido pelo Governo do Estado no valor de R$ 3,5 milhões na cooperativa beneficiou 171 famílias com a entrega de mudas de morangos, equipamentos e insumos, um caminhão baú equipado para logística de entrega das frutas e a Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER), além de uma nova unidade de beneficiamento de frutas, que está em reta final de construção. 

A ATER ofertada tanto na base de produção quanto na gestão é elogiada pelo presidente da Coopchapada, Cristiano Sousa, que vê a real possibilidade de concretizar o sonho da construção da sede da cooperativa, a partir dos avanços obtidos com o projeto Bahia Produtiva. “Através da atuação da ATER e da ATEG, nós tivemos uma melhora na qualidade dos nossos produtos”, comemora. 

Com o mix de produtos que envolve os morangos in natura e congelados, amora, framboesa, mirtilo e maracujá, a Coopchapada hoje faz entregas por toda a Bahia e já chega a outros estados, como Paraíba e Rio Grande do Norte.  

A ampliação da comercialização favorece o aumento de renda de agricultores familiares como Daivan Rocha. “O aumento da minha renda foi a partir do que a gente passou a receber de estrutura e também a partir da presença do técnico agrônomo para dar assistência técnica nas lavouras sobre o manejo dos morangos. Antes da cooperativa, minha renda era de um salário mínimo e hoje consigo uma média mensal de R$ 4.500,00”, celebra. 

O Bahia Produtiva é um projeto executado pela CAR, empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), com cofinanciamento do Banco Mundial. 



Compartilhar no WhatsApp

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Laudo confirma que a professora Raquel Teixeira foi atropelada na BA-046, em Ruy Barbosa

Oposição de Ruy Barbosa começa a se formar para disputar eleições municipais