Ruy Barbosa Notícias | O Portal de Notícias da Cidade!: O que é plagio no jornalismo?


O que é plagio no jornalismo?

No jornalismo, o nome do autor é o elemento gráfico mais importante do jornal. Dar crédito ao autor da matéria é fundamental, especialmente quando os leitores têm dúvidas ou críticas sobre a matéria.
Assim explica a professora de Jornalismo Dayane Rufino, “O plágio no jornalismo é algo bem comum atualmente. Acontece em geral quando um profissional reproduz o texto de outro jornalista sem citar a fonte. É muito frequente, por exemplo, ouvirmos no rádio um texto que foi escrito e veiculado originalmente em um portal de notícias ou em um jornal impresso, sem qualquer menção ao autor do texto ou ao nome do veículo.”
No Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros em seu Artigo 6 Parágrafo “IX – respeitar o direito autoral e intelectual do jornalista em todas as suas formas; “
Para Dayane “Tão grave quanto é a atitude de profissionais sem ética que copiam o texto de colegas, fazem algumas pequenas alterações e publicam como se fossem seu.” Com o acesso a internet e o anseio pelo furo ‘ jargão usado por profissionais da área para publicar a matéria primeiro’. A ética e o respeito pelo trabalho do colega ficam para segundo plano, e não existe um órgão fiscalizador
“Não há fiscalização deste tipo de crime ou comportamento antiético entre os profissionais,aqueles que se sentirem lesados podem e devem entrar com uma representação judicial contra o plagiador”, ressalta a professora.
O que é plágio?
Num artigo publicado em 1995, na Columbia  Journalism Review (não disponível no arquivo electrónico da revista) Trude Lieberman  escrevia que teoricamente plagiar é  “usurpar as ideias ou as palavras de outrem” (…) usar uma produção de alguém sem creditar a fonte”. Mas, para o autor, “a definição esbarra com alguns obstáculos”: “plágio é o roubo de uma ideia, de uma palavra, de duas, três palavras, quatro frases, cinco parágrafos, longas passagens ou é pegar numa pesquisa feita por outro como se fosse sua? Ou será um rearranjo de palavras e pensamentos de outros?, questiona o autor, concluindo que “existe uma diferença entre usurpar uma notícia inteira ou roubar uma frase” e defendendo que “cada linha de texto deve obedecer a regras claras”, sendo certo que “um jornalista não pode usurpar a prosa de outros”.
Como referenciar?
Para o Jornal:
Apenas as reportagens especiais e as matérias do Especial Cidadania são assinadas. A assinatura fica no início ou no final da matéria: por Fulano de Tal ou Fulano de Tal.
Para a Rádio:
A assinatura deve estar na cabeça da matéria, pois é o locutor quem chama o repórter.
O repórter, no entanto, deve gravar uma assinatura padrão que fica apenas na matéria disponibilizada pela Rádio Agência na internet: Da Rádio Senado, Fulano de Tal.
Para a TV:
Em televisão, a assinatura pode aparecer de diversas formas: de créditos sobre a imagem do repórter em passagens a citação no rol final de programas. Para saber o padrão recomendado em cada caso, consulte o Manual de Identidade Visual da TV Senado.

Fonte: https://portalintegracao.com.br/o-que-e-plagio-no-jornalismo/

Nenhum comentário:

Postar um comentário