Estado da Bahia abre inscrições para 151 mil vagas do Programa Educar Para Trabalhar

 



Estudantes da rede estadual interessados em qualificação profissional podem se inscrever para uma das 151.179 vagas do programa Educar para Trabalhar, a partir da próxima segunda-feira (4). O edital foi publicado no Diário Oficial do Estado, neste sábado (2), pela Secretaria da Educação do Estado (SEC). 
O Educar para Trabalhar é uma das políticas públicas de assistência estudantil do governo da Bahia, através do programa Estado Solidário. Segundo a SEC, o objetivo é oferecer qualificação profissional através de oportunidades de aprendizagens e maiores condições de inserção no mundo do trabalho, de acordo com as demandas dos setores produtivos dos Territórios de Identidade da Bahia. 

"Nosso investimento em educação vai muito além dos mais de R$ 2 bilhões assegurados este ano para a modernização da rede escolar. Estamos investindo também no aprendizado e na qualificação dos nossos estudantes, porque acreditamos no potencial de cada um deles. Eles precisam de oportunidade e é isso que o programa Educar para Trabalhar vai oferecer a mais 151 mil jovens", disse o governador Rui Costa, em nota. 

As inscrições ficam abertas até o dia 19 de outubro e podem ser feitas por meio do portal da Educação (www.educacao.ba.gov.br). Em 2021, o Educar para Trabalhar já ofertou 200 mil vagas. Agora, nesta nova fase, há opções de 43 cursos pertencentes a 10 Eixos Tecnológicos, na modalidade Educação à Distância (EAD), de Formação Inicial e Continuada (FIC). 

Para participar, a pessoa deve estar regularmente matriculada no Ensino Médio ou da Educação Profissional Técnica de Nível Médio da rede pública estadual de ensino no ano letivo de 2020/2021, no período de 2016 a 2020. O sorteio eletrônico está previsto para o dia 20 deste mês, como período de matrícula entre 24 de outubro a 7 de novembro. O começo das aulas será no dia 8 de novembro para a primeira entrada e no dia 7 de fevereiro de 2022 para a segunda entrada.

Cursos
A duração média dos cursos é de de três a cinco meses. Todas as capacitações serão ministradas em parceria com o Sistema S, composto pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). 

A expectativa do governo do estado é preencher 2.656 turmas em cursos que incluem Administrador de Banco de Dados; Agente Cultural; Agente de Gestão de Resíduos Sólidos; Agente de Informações Turísticas; Almoxarife de Obras; Assistente de Logística; Assistente Financeiro; Cerimonialista; Desenvolvedor de Jogos Eletrônicos; Organizador de Eventos e Produtor Cultural. 

Para o superintendente da Educação Profissional e Tecnológica do Estado, Ezequiel Westphal, o programa é importante para o futuro dos estudantes. “A nova edição do Educar para Trabalhar ocorre em um momento muito significativo na rede. Os estudantes estão envolvidos com vários projetos de aprendizagem e os cursos ofertados possibilitam ao estudante e às suas famílias perceberem novas oportunidades de qualificação que estão sendo proporcionadas pela escola”, afirmou.

A estudante Laiane da Silva, 29 anos, que faz o curso técnico de nível em Agropecuária, no Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) do Campo Paulo Freire, em Santa Luz, é uma das alunas do programa. Ela cursa o treinamento para Auxiliar Administrativo Rural ofertado na primeira fase do programa. 

“Quando vi a informação no site, pensei logo em agregar mais conhecimentos na minha área de formação. Diante da crise pandêmica, quis obter novos aprendizados e uma das partes positivas dos cursos é que podemos escolher o melhor horário para estudar e realizar as atividades. Ainda não conclui todos os módulos, mas posso afirmar que sairei com uma ótima bagagem e com muita vontade de colocar em prática todo conhecimento adquirido”, diz.
Postagem Anterior Próxima Postagem