Bolsonaro convoca apoiadores para "provável e necessário contragolpe"


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) utilizou a sua conta no WhatsApp para convocar, na tarde do último sábado (14/04), seus apoiadores a se manifestar nas ruas no dia 07 de setembro. O detalhe é a justificativa dada pelo presidente para que os bolsonaristas tomem as ruas: um "provável e necessário contragolpe". As informações são do jornalista Guilherme


ÚLTIMO SEGUNDO
Bolsonaro convoca apoiadores para "provável e necessário contragolpe"
Presidente da República utilizou sua lista de transmissão no aplicativo de mensagens WhatsApp para chamar os 'bolsonaristas' às ruas

Google News
Por

iG Último Segundo
16/08/2021 06:58 - Atualizada às 07:13
Presidente da República utilizou sua lista de transmissão no WhatsApp para chamar os 'bolsonaristas' às ruas
Foto: Reprodução: iG Minas Gerais
Presidente da República utilizou sua lista de transmissão no WhatsApp para chamar os 'bolsonaristas' às ruas
Continue após a publicidade


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) utilizou a sua conta no WhatsApp para convocar, na tarde do último sábado (14/04), seus apoiadores a se manifestar nas ruas no dia 07 de setembro. O detalhe é a justificativa dada pelo presidente para que os bolsonaristas tomem as ruas: um "provável e necessário contragolpe". As informações são do jornalista Guilherme Amado.


"Atenção direitista sem noção, você mesmo que está falando merdas (sic) como ‘Vamos tomar o poder já que ninguém faz nada’, ‘Bolsonaro tá muito devagar’ ou ‘FFAA não fazem nada’. Faça o favor de ler com atenção o abaixo escrito, compreender as coisas como realmente são e assim passar a nos ajudar e não atrapalhar, começa o texto, que apresenta na sequência uma série desses comentários", diz o início da mensagem encaminhada pelo mandatário.

Na mensagem divulgada pelo presidente, é possível observar o selo de "Encaminhada", o que indica que a publicação não foi realizada originalmente no celular do presidente. Na lista de transmissão dos destinatários, encontram-se amigos de Bolsonaro, apoiadores e ministros de Estado.

"As FFAA (Forças Armadas) e o presidente Bolsonaro vêm tentando de todas as formas evitar uma ruptura institucional, pois sabem o grande problema que inicialmente poderá representar a todos nós, isso se chama cautela e estratégia, visando um bem maior e comum à nação", ressalta outro trecho, em que o texto exalta a ligação do mandatário com as Forças.

Em determinado momento, o texto alerta para que o "contingente" da manifestação de 07 de setembro seja "absurdamente gigante" para "comprovar e apoiar inclusive intencionalmente" que Bolsonaro possui apoio para um "bastante provável e necessário contragolpe".

"Hoje, fazer um contragolpe é muito mais difícil e delicado do que naquela época, além do grave aparelhamento acima relatado, temos uma constituição comunista que tirou em grande parte os poderes do Presidente da República e foi por estes motivos que o Presidente Bolsonaro, no início de agosto, em vídeo gravado, pediu para que o povo brasileiro fosse mais uma vez às ruas, na Avenida Paulista, no dia sete de setembro, dar o último aviso, mas, desta vez, ele reforçou que o “contingente” deveria ser absurdamente gigante, ou seja, o tamanho desta manifestação deverá ser o maior já visto na história do país, a ponto de comprovar e apoiar, inclusive internacionalmente, para que dê a ele e às FFAA, para que, em caso de um bastante provável e necessário contragolpe que terão que implementar em breve, diante do grave avanço do golpe já em curso há tempos e que agora avança de forma muito mais agressiva, perpetrado pelo Poder Judiciário, esquerda e todo um aparato, inclusive internacional, de interesses escusos".

O Palácio do Planalto foi procurado para se manifestar sobre o ocorrido, mas não houve respostas até o presente momento.

Fonte: IG ultimo segundo
Postagem Anterior Próxima Postagem

correspond