Ruy Barbosa: Pesquisadora realiza primeira pesquisa das espécies de Veados da Caatinga na região da Chapada Diamantina

 


(Isabel Lima, faz doutorado na UNESP,  faz parte do Núcleo de pesquisa e conservação de cervídeos - Nupecce)

Com intuito de estudar as espécies de veados da Caatinga, a pesquisadora Isabel Lima propõe uma abrangente amostragem em sua pesquisa, pelas 8 ecoregiões do bioma, em 20 Unidades de Conservação. Ela faz parte do Núcleo de Pesquisa e Conservação de Cervídeos (Nupecce), coordenado pelo Prof. Dr. José Maurício Barbanti Duarte, que fica na Universidade Estadual Paulista, na cidade de Jaboticabal-SP. 


Sendo assim, a Área de Relevante Interesse Ecológico da Serra do Orobó, localizada entre os municípios de Itaberaba e Ruy Barbosa é um dos pontos de coleta contemplado pela pesquisa inédita na Caatinga. Contando com o apoio do Secretário do Meio Ambiente de Ruy Barbosa, Arthur Francelino, que dispôs toda a logística necessária e uma equipe preparada para acompanhamento, a pesquisadora tem conseguido fazer buscas por uma amostragem chamada de "não-invasiva". Assim não há necessidade de proximidade com o bicho para ter informações sobre o indivíduo de ocorrência. O tipo de coleta é a amostra fecal, e é muito eficiente, já que a captura de indivíduos na natureza se torna inviável pelo alto custo e interferência ao animal.




Para tanto, ela conta com uma cadela farejadora, chamada Nicks, que consegue encontrar as fezes dos animais num raio muito maior em que um humano poderia buscar. Treinada em canil que prepara cães detectores de dispersão como os da Polícia Militar, da Polícia Federal, e do Corpo de Bombeiros, a cadela é essencial para o sucesso do trabalho. Ela pode encontrar apenas um cíbalo fecal (uma "bolinha" de fezes) através do faro.



Esta metodologia é aplicada pelo Nupecce, que realiza pesquisas com cervídeos na América Latina desde 2002 e tem bom estabelecimento tanto nas coletas de campo, quanto para análises laboratoriais. Com a amostra fecal, ela consegue extrair o DNA contido para fazer estudo sobre as populações as quais as amostragens dos indivíduos coletados pertencem. É possível identificar a espécie da amostra através de técnicas de biologia molecular, e unido às informações da ecoregião referente do estudo pode-se estimar a distribuição destas populações, qual a preferência do seu habitat, gerando subsídio de informação para políticas públicas de conservação das espécies.



A espécie principal que ocorre na Caatinga é o veado-catingueiro (Mazama gouazoubira), mas a possibilidade da presença de outras espécies também é um dos objetivos dos estudo. Isabel Lima faz doutorado na UNESP, e faz parte do Núcleo de pesquisa e conservação de cervídeos - Nupecce, sob coordenação do Prof. Maurício Barbanti.

Postagem Anterior Próxima Postagem

correspond