Sesab alerta aumento de 25% de casos de Covid-19 em em Ibiquera

 


No interior baiano, cresceu a quantidade de pessoas infectadas na última semana, de acordo com os boletins epidemiológicos da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab). Em meio a carreatas, aglomerações, carros de som e até fogos de artifício, o Ministério Público da Bahia (MP-BA) notificou pelo menos 21 municípios (veja lista abaixo) onde houve descumprimento de regras por candidatos. Carreatas, comícios e qualquer evento de campanha devem ser limitados a 100 pessoas. 

Maior crescimento de casos nos últimos cinco dias segundo a Sesab:
Abaíra - 76,19%
Jussiape - 42,31%
Ibipitanga - 34,07%
Ubaíra - 27,37%
Tanhaçu - 24,44%
Ibiquera - 25%
Jaborandi - 20,89%
Mortugaba - 19,23%
Planaltino - 19,05%
Sebastião Laranjeiras - 18,75%

Municípios notificados pelo MP-BA por descumprirem decreto em atos de campanha
Aracatu
Brumado
Malhada de Pedras 
Caém
Mirangaba
Ourolândia
Umburanas
Ibicoara
Iramaia
Barra da Estiva
Feira de Santana
Serra Preta
Itiruçu
Lajedo do Tabocal
Maracás
Planaltino
Lauro de Freitas
Ilhéus
Cândido Sales
Encruzilhada
Ribeirão do Largo


De todo modo, uma nota técnica da Sesab enviada ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) pediu o fim de qualquer evento do tipo, com exceção das carreatas que não tem pessoas acompanhando a pé. “Nós temos recebido sucessivas denúncias por parte de secretários de Saúde e candidatos sobre a ocorrência de aglomerações com pessoas sem máscara, tomando cerveja, com paredões. Isso vem acontecendo regularmente e acompanhado do aumento de casos nas cidades”, disse o secretário de Saúde Fábio Vilas-Boas.  

O último boletim epidemiológico da Sesab apontou 474 casos confirmados em Pau Brasil, 17 mortes, 383 curados e 74 pacientes com o vírus ativo. O comércio reabriu no dia 5 de outubro e todos os setores funcionam normalmente desde então. Já Jeremoabo possui 374 casos confirmados, 12 mortes, 357 curados e cinco pacientes ativos, também segundo o último boletim. 


Para piorar a situação, Fábio Vilas-Boas acredita que algumas cidades estão se recusando a aplicar testes, com receio do efeito eleitoral negativo que isso poderia causar. “As cidades não estão manifestando e a gente reduziu o volume de testes realizados no Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen). Foi uma redução de 40% da capacidade diária de 5 mil exames por dia”, citou o titular da Sesab. 



Postagem Anterior Próxima Postagem

correspond