Praticar atividade física melhora a imunidade, explicam especialistas.

 


Todo ano acontece a mesma coisa: o Carnaval acaba, o verão vai dando seu adeus e a imunidade perde força, deixando gripes, viroses e resfriados encostarem. Por conta disso, para mantê-la em nível elevado e protegendo nosso organismo de doenças, não existem muitos segredos. É fundamental unir alimentação saudável e equilibrada à prática de exercícios físicos para assim manter o sistema imunológico sadio. 

O sistema imunológico é constituído por uma rede de células que defende o nosso corpo contra a ação de microrganismos (fungos, bactérias, agentes químicos, etc). “A realização de exercícios tem uma ação benéfica sobre o sistema imunológico, diminuindo o risco de infecções”, explica Guilherme Reis, Coordenador Geral da Rede Alpha Fitness. Aliado a isso, uma alimentação saudável é fundamental para o bom funcionamento do sistema imune e a prática de exercícios. “Indivíduos mal nutridos apresentam redução na imunidade, ficando mais suscetíveis às infecções”, completa Thomas Araujo, nutricionista da Rede Alpha Fitness.

Algumas dicas podem ser seguidas para evitar a queda da imunidade. Gorduras boas e ácidos graxos insaturados - ômega 3 e o ômega 6 - têm o poder de melhorar a resposta imunológica quando associados a uma alimentação balanceada (frutos do mar, óleo de linhaça, peixes, carnes bovinas e suínas). Probióticos e Bactérias contidos em iogurtes e leites fermentados reforçam o sistema imune. A vitamina A ativa o sistema imunológico e melhora a defesa do organismo (fígado, gema de ovo, manteiga, leite, espinafre, brócolis, tomate, mamão, abóbora e cenoura). A vitamina E (nozes, castanhas, cereais integrais e óleos vegetais) e o selênio (castanha-do-pará e cogumelos) combatem a diminuição da atividade imunológica e ajudam na cicatrização do organismo.

Os exercícios são necessários, mas devem ser observados.Quem faz pouco ou nenhum exercício, pode sofrer as consequências, como aumento do colesterol ruim, obesidade e mais chances de desenvolver doenças cardíacas. Da mesma forma, quando alguém faz exercícios em excesso (com exceção dos atletas de elite que têm outro tipo de preparo), também coloca a imunidade mais para baixo. "O problema é que a pessoa utiliza mais os nutrientes do organismo para o exercício e menos para a sua proteção, para a saúde. Pensando assim, são indicadas as atividades moderadas, com frequência de três a cinco vezes por semana e entre 45 e 60 minutos de duração", ressalta Guilherme.



Postagem Anterior Próxima Postagem

correspond