Pandemia e a relação com Meio Ambiente por Artur Francelino - Ruy Barbosa Notícias | O Portal de Notícias da Cidade!

Pandemia e a relação com Meio Ambiente por Artur Francelino

Vivendo um tempo nunca visto neste século, deparamos com uma Pandemia, originada na China e com diversas versões de como tenha surgido.  País populoso e com pouca preocupação com a questão ambiental e sanitária, comportamentos e cultura bem diferente a do Ocidente, estamos mais uma vez vivendo uma situação de Pandemia originado nesse ambiente. 

Contraditoriamente um País rico, uma das maiores potências mundiais e onde a questão ambiental não é levada a sério ou com a devida importância. A ilustração que fiz, foi para mostrar que essa enfermidade mundial é de origem sanitária e ambiental, especulações de guerra biológica, previsão bíblica, etc, tudo isso não mostra lastro, pois o que o homem vêm fazendo com o Planeta é de se esperar um esgotamento dos recursos naturais, ar, água, solo, mares e às florestas ou seja este planeta, começa a entrar em colapso, consumo excessivo, degradação ambiental de todas às ordens e uma guerra pelo controle mundial na economia. 

Um mundo doente pela ganância, poder e supremacia em relação a outras Nações, isso acaba gerando consequências que desconhecemos . Nossa realidade de Interior sub desenvolvido ainda é pior, falta estrutura básica e a doença requer nos casos graves uma estrutura complexa e cara, fora da nossa realidade, respiradores, médicos qualificados para entubação e outros insumos especiais, para piorar tudo isso, não temos testes para usar nas pessoas sintomáticas e assintomáticas, fazendo com que não seja evidenciados casos concretos, tudo isso numa realidade pobre que são os municípios do Norte e do Nordeste. 

Para concluir esse quadro de preocupação, sabemos que de 4 pessoas do País, 3 Irão precisar do SUS, que todos sabem, sucateado e em alguns casos com a gestão comprometida. Amigos e Amigas, eu sinceramente tenho a preocupação com as pessoas e principalmente os idosos e os mais carentes, que ao meu ver serão às maiores vítimas de um sistema perverso, insensível a realidade de grande maioria da população que vivem nos rincões e que não serão assistidos em tempo. Só nos resta o isolamento social e a misericórdia do Senhor! 

Por: Artur Francelino Gestor Ambiental e cidadão.