Ruy Barbosa Notícias | O Portal de Notícias da Cidade!: Santa Casa de Ruy Barbosa vai iniciar cirurgias de catarata pelo SUS


Santa Casa de Ruy Barbosa vai iniciar cirurgias de catarata pelo SUS

Cerca de 100 cirurgias serão realizadas mensalmente.


A partir do mês de março, a Santa Casa de Misericórdia de Ruy Barbosa, em parceria com o Hospital de Olhos (HCOE) e a clínica Oftalmed, de Feira de Santana, realizará cirurgias de catarata para atender a população rui-barbosense e da região pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Cerca de 100 pacientes, com idade acima de 60 anos ou diagnóstico prévio de catarata e que ainda não tenham passado pela cirurgia, serão beneficiadas com o novo serviço, que será ofertado em um final de semana de cada mês.


As cirurgias iniciam no dia 17 de março. Interessados devem procurar desde já a Secretaria de Saúde do seu município para formação de cadastro. Os pacientes que tiverem o agendamento confirmado farão consulta ambulatorial na Santa Casa de Ruy Barbosa, no dia 16, a partir das 7h, e deverão apresentar comprovante de residência, cartão SUS e cópias de RG e CPF. O atendimento ambulatorial será por ordem de chegada.


A previsão é realizar as primeiras 100 cirurgias ainda em março e assim sucessivamente todos os meses, sendo essa uma ação continuada.


Mais informações pelo telefone (75) 3252-1092.


Catarata – É uma patologia dos olhos que consiste na opacidade parcial ou total do cristalino ou de sua cápsula. Pode ser desencadeada por vários fatores, como exposição à luz do sol, por longos períodos, sem proteção adequada, traumatismo, idade, diabetes, uso de medicamentos, hereditariedade, etc. Os sintomas comuns incluem embaçamento visual, que pode levar à cegueira ou visão subnormal, ofuscamento ou sensibilidade à luz, mudança freqüente de receita para óculos, dupla visão num olho, necessidade de luz mais forte para leitura, fraca visão noturna e visão desbotada ou amarelada. A evolução da técnica cirúrgica permite hoje incisões muito pequenas, entre 2 e 3 milímetros, o que dispensa a necessidade de sutura e possibilita que o paciente seja submetido à cirurgia com anestesia tópica (apenas colírios), tendo uma recuperação muito positiva e saindo da sala de cirurgia já enxergando. Em cerca de 1 mês após a cirurgia, a visão já é considerada normal.


Informações à imprensa: Andrea Marnine